Câmaras que mais gastaram diárias em 2014 anunciam medidas no RS

Captura17.25.22

As três Câmaras Municipais que mais gastaram com diárias em 2014, segundo levantamento do Ministério Público de Contas, anunciaram medidas para conter os gastos. O balanço do MPC aponta para um total de R$ 16 milhões em diárias de vereadores gaúchos em 2014.

Em Tramandaí, no Litoral Norte, cidade líder de gastos no levantamento, a Câmara informou por nota que determinou a suspensão imediata dos pagamentos das diárias até que sejam feitas adequações exigidas pelo Tribunal de Contas.

Captura17.26.03
Campeã de gastos, Tramandaí determinou suspensão de pagamentos. Santo Ângelo e Imbé propõem redução de gastos com as diárias.

O município gastou quase R$ 320 mil só com despesas de viagens, além de R$ 100 mil em combustíveis e R$ 85 mil em inscrições nos seminários, quase sempre realizados pela mesma empresa. O valor total supera os R$ 500 mil. Entre os destinos do vereador Paulo Costa (PMDB), ex-presidente da Casa, estão Curitiba, Florianópolis e Foz do Iguaçu, terra das cataratas.

Em Santo Ângelo, no Noroeste do Rio Grande do Sul, a mesa diretora da Câmara protocolou um decreto para reduzir em 50% o valor das diárias do Legislativo. Segundo o presidente da Casa, Pedro Waszkiewicz (SDD), a ação atende um apelo da comunidade, que não concorda com o valor praticado de R$ 575. Ainda de acordo com o parlamentar, a iniciativa visa a economia de despesas.

O decreto, que ainda será votado pelos vereadores, determina o valor de R$ 175 para viagens de até 300 km dentro do estado, R$ 248,50 para deslocamentos superiores a 300 km no Rio Grande do Sul e R$ 450 para diárias em outros estados.

Outro município que também tentará conter os gastos é Imbé, no Litoral Norte, que aparece em terceiro lugar no ranking do MPC. A Câmara se comprometeu em apresentar na próxima segunda-feira (5) um decreto que reduz os gastos com diárias em 50%. Além disso, o órgão avisa que não será mais concedido mais nenhum valor em diárias até o fim de 2015.

Vereadores e funcionários de Imbé gastaram no ano passado, segundo o MPC, quase R$ 400 mil em diárias, combustível e inscrições para cursos. Entre os destinos, há praias como Balneário Camboriú e Itapema, em Santa Catarina. O atual presidente da Câmara, Uiraçu Pinto (PROS), foi um dos que mais viajaram. “Achamos que se faz necessário o aprendizado, a qualificação, para a prestação de serviços final para a comunidade”, afirmou. Uma diária para fora do estado passa de R$ 700.

Entre as 10 Câmaras que mais gastaram, além de Tramandaí, Santo Ângelo e Imbé, estão Caçapava do Sul, Erechim, São Gabriel, Gravataí, Rosário do Sul, Uruguaiana e Carazinho. O procurador-geral do MPC, Geraldo da Camino, diz que os gastos são previstos sempre no ano anterior, durante a preparação do orçamento.

Fonte: http://goo.gl/PecBhn

Comments

comments

Deixe uma resposta